2.09.2018

Fifty Shades Freed: a crítica

Foi bom. Foi bonito. A nossa Anastacia querida teve um upgrade que benzá-Deus no seu guarda-roupa (e só nos primeiros minutos de filme aparece-nos com umas seis mudas diferentes!). O nosso Grey continua com cara de bebé. 

E cortaram tanta, tanta, mas TANTA coisa do livro. Tantas partes importantes. Tantas momentos que retínhamos na memória. Desde o pai da Anastasia no hospital. O presente da pulseira. O casamento por si só. 

A sensação que tenho é a de que o filme passou a correr. Acreditem, passa literalmente a correr de umas cenas para as outras. Passam 100 páginas de livro num abrir e fechar de olhos! 

Mas a cena da discoteca em Aspen não lhes perdoo. Como assim, cortarem Aspen?? 

Desiludiu os nossos pobres corações. Ou então foi a espera de um ano que nos deixou com expectativas muito altas, mas... enfim. 

De qualquer forma, para quem leu a trilogia e gostou - porque eu amei os livros! - vejam na mesma. 





1 comentário:

  1. Já li que é um dos piores filmes do ano em termos de cotação! Mas, tal como tu, e porque li os livros, quero ver na mesma. Beijinhos*

    ResponderEliminar