3.10.2017

Filmes da Chiclet #35 | JOHN WICK 2


Quando “John Wick” estreou - em 2014, para os mais distraídos -, pouco se acreditou de que houvesse uma continuação, pois o enredo, e o próprio elenco eram demasiado simples para isso. 
Basicamente após a morte da mulher de John, ele recebe um beagle bebé (coisa mais amorosa do mundo!) enviado pela sua mulher, para que ele não ficasse sozinho e mergulhado na dor e solidão. Mesmo não querendo - porque o nosso John Wick é um homem de poucas palavras - este apaixona-se, aos poucos, pelo cão.

Tudo começa quando um menino rico, da máfia russa, lhe pergunta quanto é que ele quer pelo carro. Ao que este responde que o mesmo não está à venda. Mas logo aí se percebe que virão problemas (claro não é?). 
John Wick, ou o Papão como lhe chamam, é o mais temido assassino profissional de todos os tempos. Tendo histórias, e histórias espalhadas pelo mundo, entre elas uma em que matou 3 homens com apenas um lápis. Mas agora estava finalmente reformado dessa vida! (Pensava ele.)

Tudo começa quando a sua casa é assaltada pelos mesmos que lhe queriam comprar o carro, que como se não bastasse, não só lhe roubam o carro, como o agridem brutalmente e lhe matam o cão, mesmo à sua frente. Esta foi sem duvida uma imagem que me custou ver, e que mexeu muito comigo. O que por um lado de me cativou desde logo, pois convenhamos, não é muito normal existirem filmes de acção com base na morte de um cão e o roubo de um carro! (Claro que é muito mais para além disto, é o significado de todas estas coisas, e as recordações que lhe trazem da mulher, mas isso logo perceberão depois).
O carro, um clássico Ford Mustang, de 1969. 
“John Wick 2” é a continuação do projecto de Chad Stahelski. 
Para poder participar no filme, Keanu atravessou um longo período de treino físico e militar, onde aprendeu todo o género de artes marciais. Até passou horas em carreiras de tiro. Contudo, isso não se compara ao nível que o ator atingiu durante as filmagens deste segundo filme. Confesso que não morria de amores por este actor... mas agora conquistou-me totalmente com este personagem. Impossível não se gostar do Mr. Wick.
John foi um assassino, comparado a um anjo da morte, que é, até hoje, temido por todos dentro do submundo criminoso devido aos métodos pouco convencionais que usa para despachar quem o perturba. 
John tenta reformar-se definitivamente da antiga profissão, mas recebe a visita de Santino D’Antonio (Riccardo Scamarcio) que o relembra que lhe deve um grande favor: viajar até Roma e matar uma figura importante da High Table - a sua irmã (que lhe sucedeu, após a morte do pai, na máfia  italiana), Gianna. 
O filme, no geral, é um bocadinho violento de mais. Vimos tudo muito nitidamente, mas pronto, nada que não se aguente.
Este novo filme trouxe-nos a adição de várias caras conhecidas, como a atriz Ruby Rose, conhecida pela série “Orange is the New Black” e o rapper Common (que não costuma aparecer muito em filmes de Hollywood). 
“John Wick 2” é indicado para todos os que adoram filmes de acção (mas em bom e com classe!). 
Curiosamente, vi o primeiro filme (pela primeira vez) há cerca de duas semanas apenas, num domingo à noite na SIC. Fiquei acordada até mais tarde, mas não conseguia deixar de ver, fiquei absolutamente presa ao ecrã, literalmente. Esta semana vejo que estreou o segundo e fiquei numa histeria estonteante! 
Recomendo vivamente, aconselho apenas a verem o primeiro antes, é importante. Não adorei o final apenas... mas compreende-se (venha o terceiro faxabôr!). 
E sim, há um novo puppy no filme (não morre!!) e é lindooo! ❤️

Sem comentários:

Enviar um comentário