1.18.2017

Sobre a Gratidão

No outro dia li este post do Às 9 no meu blogue:

"- ❥-

| no dia do obrigado | 

às pessoas que hoje têm o teu melhor mas que viram o teu pior e não desistiram de ti;  às pessoas que gostam de ti assim, que vêem coisas em ti que te esqueces de reparar; às poucas indispensáveis pessoas da tua vida: nunca te esqueças de dizer obrigada. 

porque essas são as tuas pessoas. as que, genuinamente, ficam felizes quando tu estás feliz. pessoas raras. pessoas nascidas sob o signo dos abraços fortes.
guarda-as sempre por perto. são as que te fazem bem, as que te tornam melhor e maior.

- ❥-"

É de facto, necessário, ser-se grato. Gratos por estarmos vivos. Gratos por ter-mos os nossos. Gratos pelas coisas boas que nos acontecem. Que são tantas! 

Quanto às coisas más? Cada vez mais me mentalizo de uma coisa: não existem coisas más - existem desafios. E não têm necessariamente de ser más, por vezes, só temos medo da mudança, medo do que desconhecemos. Mas acredito que há, de facto, males que vêm por bem. 

Às vez damos por nós a ser surpreendidos por pequenos gestos - muitos deles, tão só na base da educação (em vias de extinção) - que fazem o dia das pessoas que nos rodeiam. E que podem verdadeiramente mudar o dia de alguém. Já pensaram nisso? 

Façam o bem sem olhar a quem. Porque o bem, gera inevitavelmente, bem de volta para nós. Coisas boas geram coisas boas. Simpatia gera simpatia. 

Uma coisa que aprendi nesta minha nova vida de transportes públicos: ninguém diz bom dia a ninguém (muito menos ao motorista), toda a gente anda mal humorada e rabujenta, existe de facto, um má educação (ou falta dela) generalizada. E tudo isto, assustadoramente, é tido como normal. 

Se vamos em pé é porque vamos em pé. Se vamos sentados é porque vamos sentados. E sabem que mais? Faço, como aliás sempre fiz, questão de dizer sempre bom dia! Gosto de sorrir às pessoas. Ajudo alguém, quando necessário. Vou no meu lugar de sempre sem incomodar ninguém, e mesmo quando se incomodam, é favor respirar fundo cem vezes, e pensar que não queremos ser pessoas assim. (Claro que, na prática, nem todos dias são assim, but é melhor que nada e resulta). 

Hoje fiquei verdadeiramente feliz por uma pessoa que já tenho como amiga. Já o fiz noutras vezes, e por outras pessoas. Mas faço-o sempre de coração aberto, adoro puxar as pessoas para cima e tenho energia para mil (para os outros sempre, para mim nem tanto). Vejo sempre o lado positivo, e tento ajudar de todas as formas que possa. Mas ver os resultados desse esforço serem alcançados com sucesso, a felicidade, emoção e gratidão puras, das pessoas que conseguimos ajudar - de coração - a realizarem os seus objectivos? Não tem preço. E essa é uma das partes de mim da qual tenho orgulho e me faz feliz. 

Desculpem o desabafo. Não pensem que estou a descrever um mundo cor-de-rosa: a vida nem sempre é justa. Nem sempre estamos rodeadas de pessoas boas. Ou simplesmente, que gostem de nós. Ninguém é obrigado a gostar de todo o mundo, nem o mundo ou a vida agem sempre como gostamos ou queremos, nem quando gostamos ou queremos, de facto. Mas dêem valor às coisas boas, e por favor, sejam pessoas boas. Sejam a melhor versão de vós mesmos ❤️ cada vez mais me convenço de que recebemos sempre em troca, sem esperarmos, mil coisas boas da vida em resposta. 

Porque tudo o que de bom ou de mal fazemos, arranja forma de vir para nós. 



Sem comentários:

Enviar um comentário