7.31.2016

ALGARVE | DIA 13








Vestido: ZARA | Sandálias: SIXTY SEVEN | Relógio: D&G | Bolsa: ARTESANATO



7.30.2016

Leituras da Chiclet #9 | "A Rapariga no Comboio"


“Todos os dias, Rachel apanha o comboio... No caminho para o trabalho, ela observa sempre as mesmas casas durante a sua viagem. Numa das casas ela observa sempre o mesmo casal, ao qual ela atribui nomes e vidas imaginárias. Aos olhos de Rachel, o casal tem uma vida perfeita, quase igual à que ela perdeu recentemente.
Até que um dia... 
Rachel assiste a algo errado com o casal... É uma imagem rápida, mas suficiente para a deixar perturbada. 
Não querendo guardar segredo do que viu, Rachel fala com a polícia. A partir daqui, ela torna-se parte integrante de uma sucessão vertiginosa de acontecimentos, afetando as vidas de todos os envolvidos.”



Neste livro as pistas estão lá, dadas, para quem as quiser seguir. O culpado revelou-se-me na página cento e trinta, como certamente se terá passado com outros leitores. Para mim foi bastante nítido, não houve grande surpresa. Obviamente não estava à espera, mas deu para perceber bem, a meu ver.

Este é um livro que vai ao âmago das relações humanas, e coloca em cima da mesa temas como a confiança, e o seu abuso na manipulação das fraquezas dos outros. Custa-me a manipulação e desprezo que a Rachel passa ao longo de todo o livro, por parte de toda a gente. 

Neste thriller psicológico, o ponto mais forte é exactamente essa caracterização, ser feita por três narradoras que dão voz à história. Rachel, Megan e Anna. Confesso que ao inicio isso me deixou um pouco confusa. 

Em "A Rapariga no Comboio", a ideia com que se fica é a de que ninguém é o que parece. A própria Rachel deixará, por vezes, o leitor tão confuso e à beira de um ataque de nervos: é aquela personagem de quem se demora a gostar, mas que inevitavelmente se aprenderá a gostar, sendo que a compaixão está sempre presente. 

Li este livro por três motivos: primeiro, porque estava curiosa e toda a gente me dizia que o livro era "espectacular", "viciante", e tudo o mais - nitidamente o livro do momento; segundo, porque como vai estrear no cinema o filme baseado no livro, o qual pretendo ver, não gosto de ir ver um filme sobre o qual não li o livro, e posteriormente emitir uma opinião que inevitavelmente nunca será a mais correcta e concisa uma vez que me faltaria a base principal: o livro; o terceiro e último motivo, era sair da minha zona de conforto, e este livro pareceu-me o ideal para começar a ler coisas menos seguras. Com menos romance. Mas igualmente viciante.

Não sabia bem o que esperar deste thriller mas sabia que ia encontrar personagens bem peculiares. As primeiras 50 páginas do livro aborreceram-me e tive que fazer um grande esforço para não desistir, pois queria mesmo saber o porquê de tanto alarido à volta do mesmo, é independentemente de acabar por gostar ou não, ia lê-lo até ao fim - porque a protagonista - Rachel - estava a dar-me cabo dos nervos. Fiquei surpreendida ao perceber que havia três linhas narrativas das três personagens femininas - e gostei desta opção da autora. 

Em suma:

Não adorei, de início. As primeiras 50 páginas pelo menos são confusas e entediantes e fazem-nos exasperar um bocadinho. No entanto, de um momento para o outro fazes parte daquela história, e queres tanto saber o que de facto aconteceu quanto a protagonista, Rachel. Até que fica viciante ao ponto em que: se demorei 1 dia a ler as primeiras 50 páginas, depois demorei, apenas, uma noite a ler o resto do livro (mais cerca de 265 páginas). É viciante, e sim, de facto, é muito bom. E sem duvida que envolvente. 

Daí que vos aconselho a leitura do mesmo, e percebo por fim, o facto de ser, talvez, o livro mais falado do ano. A história, as emoções, a manipulação psicológica, o crime: está tudo lá. E em bom. 

Tenham apenas paciência nas primeiras 50 páginas, acreditem: vai melhorar!

xoxo



ALGARVE | DIA 12

Beeeem, está visto que o verde seco é a cor deste meu verão! Eu adoro a cor, não só no verão, mas o ano inteiro. Se bem que, com o bronzeado fica bem melhor, não é verdade? 

Deixo-vos mais um outfit destas férias. As fotos foram tiradas na serra de monchique (infelizmente esqueci-me do cartão de memória da máquina no computador e teve mesmo de ser com o telemóvel, sorry!), se visitarem Monchique não se esqueçam de passar no Restaurante Maximino (com o melhor pão, presunto e queijo do Algarve!).





Vestido: ZARA | Sandálias: SIXTY SEVEN | Relógio: D&G | Óculos: RAY BAN | Bolsa: ARTESANATO 


xoxo


7.29.2016

Qualquer parecença é pura coincidência

Sandálias ZARA (nova colecção): 


Um qualquer burrinho por aí:




A prova de que ninguém é perfeito. A Zara, afinal, também peca. 

Deus nos ajude.

ALGARVE | DIA 11

E num ápice já se passaram mais de 10 dias... 










Camisa: SALSA | Calções: ZARA | Sandálias: RUIKA | Bolsa: ARTESANATO | Relógio: MICHAEL KORS | Anéis: CK



7.28.2016

ALGARVE | DIA 10








Vestido: A LOJA DAS JOANINHAS (online) | Sandálias: ZARA | Bolsa: ARTESANATO (algures por aí) | Relógio: MICHAEL KORS


7.27.2016

Vamos ao próximo!

O terceiro livro destas férias. Passada uma semana e meia é tempo de ler o livro mais badalado do momento - o qual vai ter direito a filme e tudo, já no final deste ano! - e tentar perceber se a loucura e elogios em torno dele, se justificam de facto. 

Espero que sim! :) logo vos conto. 

Falo, obviamente, de "A Rapariga no Comboio", de Paula Hawkins.

Já leram? Opiniões? 


Leituras da Chiclet #8 | A filha das Estrelas

Já não é de hoje, nem novidade alguma, que Nora Roberts é uma das escritoras mais lidas e acarinhadas no mundo inteiro. 

Talvez seja pela sua veia irlandesa, foi com a sua primeira trilogia irlandesa que me conquistou, com cerca de 12 anos... Até hoje, e para sempre. 

Eu sou mega fã de trilogias, adoro ler, e gosto de saber que a história vai ter continuação. Quem diz em livros, diz em filmes também. 

Este que hoje vos trago, é o segundo livro lido nestas férias, e foi com muito amor que cheguei ao fim das suas 484 páginas em quatro dias. 



Tem mais de crime e mistério, do que de romance. Mas é toda uma história envolvente, de uma família nada convencional, essencialmente uma "família do coração" atormentada é perseguida por um trágico acidente do passado e por pessoas que lhes querem mal. 

Mostra-nos acima de tudo, o valores e os principais, tais como a união, o verdadeiro significado da palavra "família", e lealdade. A força de se ser sempre um sobrevivente, mesmo que com milhões e com um estilo de vida muito acima do comum dos mortais. 

Um livro arrebatador do início ao fim. Recomendo vivamente! 




ALGARVE | DIA 9

Hoje trago-vos um dos meus outfits preferidos destas férias... o macacão comprei-o no Algarve Shopping e, na verdade, não se dava grande coisa por ele... até o vestir! Adorei, simplesmente. A cor conquistou-me desde logo, pois apesar de não ser grande fã da cor verde, rendo-me sempre ao verde seco. O bronzeado, é a cereja no topo do meu verão :)

Espero que gostem :)

e boas férias (ou bom trabalho)!!













Macacão: ZARA | Sandálias: RUIKA | Relógio: MICHAEL KORS | Pulseira: ANARTXY | Mala: GUCCI


7.26.2016

Felicidade em 5 letras: YORN X



Depois dois longos anos, presa ao pior tarifário de todos os tarifários alguma vez existentes - a pior e mais triste ideia que me correu - estou finalmente LI-VRE. E o melhor de tudo: COM 5GB DE NET. Lá lá lá lá lá lá lá lá. 

Depois de dois longos anos, com um Red +, supostamente com uma mensalidade de 45€, mas a qual paguei (salvo seja) durante todos estes penosos 24 meses num valor nunca inferior a 70€ e sempre próximo dos 100€. Coisa pouca. 

Sempre. 24 meses. Com 1GB de net que durava a muito custo, apenas 10 a 15 dias.

O contrato supostamente findou no dia 22, nesse mesmo dia fui rescindi-lo. Com marcação para o dia seguinte. E para o próximo. E para o próximo. 

Porque claro: existiam mil ofertas para uma "cliente antiga", todas elas bastante atractivas e compensatórias. Só que com dois anos de atraso. 

Entre mil idas à vodafone mais próxima, e mil chamadas feitas, lá consegui finalmente passar o número para um tarifário pré-pago! E finalmente para o meu amado e tão recente YORN X, com CINCO GB DE NET, e tudo à borla. 

Lá lá lá lá lá lá lá. Desculpem, ainda não estou em mim! 

:))))))


ALGARVE | DIA 8










Vestido e Argolas: ZARA | Sandálias: PRIMARK | Relógio: MICHAEL KORS | Mochila: GUCCI