2.29.2016

Óscares 2016: os melhores da red carpet

Este ano - para não variar muito - a única coisa entusiasmante foi, de facto, o querido Leonardo Dicaprio ter ganho finalmenteeeeeee, passados mil e anos e toda uma vida, o seu primeiro Óscar! O filme "O Renascido" acabou por ser o grande derrotado da noite, nomeadamente, para Mad Max, mas o Leo ganhou e o mundo aplaudiu de pé. 

Tirando isso, e um outro vestido bonito, o que é facto é que não houve UM que nos cortasse a respiração (ou que nos fizesse cortar um mindinho para o pagar, entendem?) 

De resto, muito pãozinho sem sal, no geral. Nada de novo, aliás. 

E uma ou outra surpresa. 

Deixo-vos os meus preferidos da noite: 



Olivia Wilde, em Valentino.

Não gosto particularmente do decote, mas o vestido é fofinho-fofinho que só ele e mais importante que tudo: ELA PODE. 


Alicia Vikander, em Louis Vuitton.

Talvez a mais arriscada da red carpet, o amarelo foi assim como que uma lufada de ar fresco! Mudava-lhe apenas a parte de baixo do vestido, que não gosto particularmente, mas percebo que para não ficar muito banalizado tinha de alterar algo mais. A sueca chegou e arrasou, uepa! Menos um pãozinho sem sal.


Jennifer Lawrence, em Dior. 

Nunca hei-de conseguir tirar esta mulher de qualquer pódio meu. Se não é o melhor vestido de sempre? Não, não é. Mas gostei, e ela fica linda com ele.



Margot Robbie, em Tom Ford.

Um pouco disfarçada da própria estatueta dourada. No entanto. Eu e os dourados, os dourados e eu. Adorei!



Lady Gaga, em Brandon Maxwell.

Quem diria, Lady Gaga? Em dois pódios assim num tão curto espaço de tempo? Um tanto ou quanto volumoso de mais, mas a-do-rei! Adorei simplesmente. E confesso que o facto de ser macacão-vestido conquistou-me o coração de imediato. 


Saoirse Ronan, em Calvin Klein.

A Calvin Klein este ano parece que fez apenas um modelo de vestido, em vários tons. Dourado para os globos de ouro, roxo para a Selena Gomez, e agora em verde. O mesmo género. O mesmo tecido. Mas qualquer coisa que fica impossível não se gostar. 



Cate Blanchett, em Armani Privé.

Um vestido que SÓ ELA poderia usar. É só ela faz com que não caia no ridículo e vá directamente para todos os "piores vestidos dos Óscares". Porque ela pode, e sabe o que faz. 


Charlotte Rampling, em Armani Privé. 


Julianne Moore, em Channel.

Ok, ok, ok. Nada de mais, I Know. Mas no meio da desgraça geral - mal o menos. E com o preto nunca me comprometo. Gostei. 


E vocês, quais foram os vossos preferidos da noite? 










1 comentário: